Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A encher os canelões

por pintolaranja, em 31.12.12

Acho que ainda não tinha enveredado pelos cannellonis.

Mas como até é algo que aprecio achei que estava na altura de experimentar.

 

Pois então reza assim: cortar um pouco de cenoura aos cubos, picar uns quantos cogumelos, um pouco de tomate e misturar tudo com a carne picada. Picar alho, cebola e tratar de juntar à mistura. Também usei um pouco de vinho, pimenta e cebolinho seco. Deixem esta mistura a ganhar sabor assim durante uma horita ou duas.

 

Depois é simples.

Fazem um refogado com alho cebola e azeite (deixei um pouco de parte logo de início só para isto). Deitar o resto do tomate, juntar talvez um pouco de paprika. Quando o tomate estiver refogadinho misturem a carne e mexam bem pare envolver tudo e pré cozinhar.

A seguir podem deitar um pouco de água, apenas o suficiente para cobrir a carne mas não ficar muito caldo no fim.

 

Quando a carne estiver meia cozinhada podem tratar de fazer um molho de natas ou um béchamel. Este béchamel por acaso não me saiu grande coisa, mas comeu-se :)

 

Rechear os cannellonis com a carninha cozinhada e dispôr numa travessa. 

Em seguida, reguem-nos com o bechamel e dispõem umas folhas de espinafre cortado e fresco por cima. Decoram com queijo ralado (ou picado aos cubinhos se não houver outra coisa, que foi o meu caso) e levam ao forno a gratinar. Assim os cannellonis cozinham com o caldo que deita a carne e com o próprio béchamel.

 

E pronto, quando está douradinho é só servir e comer!

 

 

NJoy!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Batatinha é com casca

por pintolaranja, em 24.12.12

Bem, ouvi dizer que a casca da batata é rica em potássio e portanto benéfica para quem sofre de hipertensão.

Claro que, se formos a avaliar pelo prato que apresento aqui, metade dele elimina todos esses benefícios, mas... lá que soube bem isso soube.

 

Tão fácil como lavar umas batatas, cortá-las aos cubos e dar-lhes uma fervura só para suavizar.

Entretanto temos um bom naco de entrecosto temperado há umas duas horas com pasta de pimentão e alho, um pouco de sal e tudo o que acharem por bem. Eu gosto de um pouco de piri piri. Também levou um pouco de louro.

 

Junta-se isto tudo numa travessa, rega-se com um fio de azeite e leva-se ao forno. Deixem cozinhar lentamente, assim sei lá... uns 155 graus? Depois mais para o fim podem aumentar um pouco a temperatura só para dar um efeito mais crocante.

 

Nos entretantos, vão virando a carne regularmente e regando com um caldinho de carne para que não fique tudo muito seco.

 

Se usarem forno eléctrico muito provavelmente não precisam de juntar muito caldo, a carne seca menos do que num forno a gás.

 

E pronto, NJoy!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Há muita maneira de cozinhar o pito

por pintolaranja, em 17.12.12

E uma das minhas favoritas é assá-lo na brasa.

Não havendo, assado no forno também é de nível :)

 

Preparei uma massa de pimentão vermelho com alho e sal. Toca de barrar o franganito por dentro e por fora, regar com vinho branco, misturar para ali umas folhecas de louro e ajudar com um pouco de caldo de galinha só para não secar.

Deixar assar em forno não muito forte.

 

Dá trabalho a lavar a travessa depois, mas acreditem que vale a pena {#emotions_dlg.blink}

 

 

NJoy

Autoria e outros dados (tags, etc)

Olhá petinga fresca, menina!

por pintolaranja, em 03.12.12

Óviamente que por terras de Sra. D. Merkel ninguém sabe o que é isso.

Nem o que é petinga nem o que é a senhora do mercado a apregoar o peixe fresquinho.

 

Bem, pelo menos aqui por Berlim não sabem de certeza. Descobri um super mercado que vende artigos ibéricos e com sorte consegui lá arranjar umas petingas que até eram jeitosinhas.

Resolvi trazer para casa para as fritar e, a acompanhar, claro que tinha de vir um arroz de tomate.

 

Muito fácil de fazer, tirem as tripas da petinga, botem sal q.b.

Entretanto façam um refogado com azeite, louro, cebola, alho e sal (podem também juntar um pouco de paprika e uma malagueta se gostarem). Se não me engano deitei um pingo de vinho branco.

Fritalgar o arroz, juntar água, mexer, tapar e deixar a cozinhar em lume brando.

 

Entretanto, preparem um prato com gema de ovo batida, outro com farinha e tenham azeite misturado com um pouco de óleo vegetal a aquecer. Quando estiver bem quente, passar as petingas pelo ovo, depois pela farinha e daí para a fritadeira. Tirar quando estiverem douradinhas.

 

Um belo petisco!

 

 

NJoy

Autoria e outros dados (tags, etc)


Translate the goodness



Calendário

Dezembro 2012

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Cozinhados Antigos

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D






subscrever feeds