Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A saltar para o prato

por pintolaranja, em 21.03.16

Um belo coelho assadinho no forno.

Coloquei-o cortadinho em pedaços no tabuleiro, reguei com azeite, temperei com alho e sal e uma malagueta seca gigante (vinda da Tunísia) cortada aos pedaços.

Deixei a marinar durante uma horita e depois simplesmente enfiei com o tabuleiro no forno, salvo erro a 170 graus durante uns 40 minutos (ou até acharem que está cozinhado e douradinho).

Acompanhou com uma simples salada de tomate e pepino.

Uma delícia!

 Njoy!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ó mãe, apetecia-me frango com esparguette...

por pintolaranja, em 29.06.15

Ó filho, a mim também me apetecia muita coisa, mas vamos ver o que te posso arranjar.

Na verdade nesta refeição não há frango nem há esparguette, não se deixem enganar pelo aspecto.

Aqui há simplesmente uma perna de coelho que foi estufada em azeite e louro depois de devidamente temperada com alho e sal cerca de meia hora antes.

O truque foi que no azeite e no louro deixei fritalgar uns grãos de pimenta verde preta e rosa, além de um cardamomo preto.

 

Para quem não sabe, o cardamomo preto é utilisado na preparação de uma série de masalas indianos e tem um sabor e cheiro que faz de alguma forma lembrar um fumeiro. Esqueçam lá que este não vai saber bem no café, mas em pratos de carne acho que tem um potencial tremendo.

 

Quando finalmente juntei o coelho e o seu tempero, adicionei também um pouco de harissa para aquecer a coisa.

Cozinhou tapadinho e lentamente até amaciar, depois juntei-lhe um pouco de worcestershire sauce e deixei reduzir a molhenga.

O Worcestershire Sauce (também conhecido por Worcester Sauce) é um molho feito em Inglaterra e utilisado em milhentos pratos. É bastante exótico também, leva tamarindo, melaço, alho, cebola, diferentes tipos de vinagre e, curiosamente, também leva anchovas. O que é certo é que a coisa depois de fermentada serve para intensificar o sabor de algumas comidas e até cocktails.

 

Mas adiante!

Retira-se o coelho e toca de enfiar os rebentos de soja lá para dentro, que vão saltear durante 3 minutos no máximo.

 

Aqui está, um misto de asiático com europeu super saboroso!

 NJoy!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Conejo Aromático

por pintolaranja, em 20.02.12

A experiência foi usar dos ingredientes que a minha mãe utilizava para confeccionar o coelho à caçador mas tentar assá-lo no forno ao invés de usar a panela :)

 

Portanto: alho, sal, azeite, alguns cravinhos, pimenta branca, umas folhinhas de rosmaninho (não tinha alecrim) e meio pacote de 200 ml de vinho branco, outro meio de vinho tinto (estava-se a acabar o branco, LoL).

 

Deixei a marinar de um dia para o outro, a meio do caminho virei o frango, (ups... o coelho!) para temperar do outro lado e pronto, no dia seguinte foi só levar ao forno.

 

Cozinhar entre os 150 e os 175 graus até o coelho estar douradinho.

 

Fica uma delícia e pode ser acompanhado com um pouco de esparregado e com arroz de grelos, como eu fiz por aqui.

 

 

NJoy!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Chanfana de Coelho Improvisada

por pintolaranja, em 27.06.11

Consta que se costuma fazer com vinho tinto.

E que só leva coisas absolutamente tradicionais para aromatizar e temperar... como louro.

Que tipicamente se faz acompanhar de batata cozida.

 

Dei-lhe uma reviravolta.

 

Toca de colocar uma cebola de tamanho médio cortada às rodelas numa caminha bem feita no fundo de um tacho cujo fundo já se cobriu com azeite (não em demasia, que engorda). Esborrachar 2 dentes de alho, picar de forma grosseira e juntar a esta mistura.

 

Deitar umas pedras de sal, um pouco de mistura de malaguetas secas moídas, ligar o lume para alourar um pouco.

 

Quando se considera que a cebola alourou o suficiente, colocar o coelho cortadinho em pedaços por cima. Juntar 1 folha de louro à mistura, espalhar um pouco de tomilho seco por cima, um pouco de alho em pó, mexer e tapar o tacho. Sempre a cozinhar em lume brando.

 

Estando o coelho meio cozido, um copito de vinho branco lá para dentro, mexer bem e deixar a cozinhar o resto sempre em lume brando para apurar e evaporar o bendito do álcool. Se quiserem a esta altura podem ajustar os temperos, caso sintam necessidade. Atenção que cebola e vinho realçam o sal.

 

E pronto, de acompanhamento resolvi fazer um esparregado de espinafre. Nada de muito transcendental, usei mesmo uns espinafres congelados que foram cozinhando na frigideira com azeite e alho. Juntei pouquíssimo sal e dei um toque com vinagre de vinho no final só para ter alguma acidez e cortar a monotonia do sabor do esparregado.

 

Espero que gostem!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Translate the goodness



Calendário

Março 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Cozinhados Antigos

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D






subscrever feeds